Já é comprovado que quanto mais coisas manuais pequenas somos capazes de realizar, e mais desenvolvemos nosso cérebro a novos conhecimentos e novas experiências, mais ele se torna “forte, resistente e capaz”, e assim podemos evitar e diminuir os efeitos de um AVC / AVE (acidente vascular cerebral, Acidente vascular encefálico), e adiantar o processo de reabilitação fisioterapêutica pós AVC / AVE.

A neurociência, campo da neurologia que se dedica aos estudos dos fenômenos que acontecem em nosso sistema nervoso, em especial o cérebro, vem evoluindo sobre um novo conceito, a neuroplasticidade, que é a capacidade do nosso cérebro de se adaptar novamente frente a alguma situação inusitada.

Seria como treinar seu cérebro a realizar diversas tarefas da mesma maneira, e depois diversas maneiras de realizar a mesma tarefa.

Façamos um paralelo com ruas de uma cidade e os caminhos que a mensagem percorre por entre os neurônios do nosso cérebro.

No caso de um “AVC” aquele caminho está obstruído, e a mensagem não consegue passar e a tarefa não é realizada, seria como uma rua interditada, onde os carros não podem passar e não chegam a seu destino.

Treinar a plasticidade cerebral é ensinar o cérebro que ele pode fazer a mesma coisa de maneiras diferentes, ou seja, pode chegar ao mesmo destino por ruas diferentes.

As tarefas a serem treinadas são as pequenas coisas do dia a dia, como exemplo: Ter um jardim, poder plantar, observando a posição do sol, o tipo de terreno, quanto de água irá utilizar e com qual frequência, maneiras de podar as plantas e por ai vai.

Ou até mesmo tentar arrumar as pequenas coisas que estragam em nossa casa, desenvolver nossa imaginação sobre como os equipamentos funcionam, a lógica por trás das coisas. São pequenos exercícios que desenvolvem capacidades do cérebro, que o treinam de diversas maneiras.

Pense nisso, vamos viver uma vida saudável, vamos prevenir.

Categorias: Sem categoria