Com a evolução da tecnologia, doenças que antes matavam cedo hoje não nos causam medo, o tempo passou e de tanto evoluir, a sociedade ficou mais idosa. Somos um país jovem, com seu grande contingente populacional na faixa de 30 a 40 anos, porém já temos uma grande população idosa e em breve seremos mais um país de idosos, igual aos países europeus.

Como a população idosa cresce, os cuidados também devem crescer na mesma medida. Nem todas as famílias brasileiras podem manter uma equipe profissional de prontidão para assessorar seus pais e avós 24 horas por dia. Por isso, a prevenção vem se tornando uma necessidade.

A autonomia dos idosos deve ser estimulada até que o mesmo não consiga mais realizar suas tarefas. Manter tarefas diárias da casa, como limpeza, manutenção e jardins são ótimos para que o corpo mantenha-se ativo. Atividades de convívio em grupo como grupos de dança, atividades religiosas, grupos da terceira idade, e jogos coletivos incentivam a manter as capacidades de convívio e a viver em sociedade, são ótimos pois eles de forma alguma devem sentir-se excluídos.

Atividades físicas são altamente recomendadas, e com exames de rotina podemos inclusive compreender em que intensidade podemos exigir nos exercícios. Atividades aeróbias ativam a circulação do corpo, mantém seu coração forte e treinado, sua capacidade pulmonar restaurada, e os desafios de uma atividade intensa mexem com a mente e nos faz sentirmos capazes do que quisermos.

É normal com o tempo perdermos massa muscular, este processo se inicia por volta dos 35 anos, e a ele damos o nome de Sarcopenia, porém este processo pode ser reduzido ou retardado quando praticamos atividades regulares, podendo diminuir a perda de massa muscular e mantermos sempre fortes. Rigidez articular é outro fator relevante, as vezes causada por doenças como artrite e artrose, outras vezes por falta de um alongamento eficaz, o fato é que com o tempo ficamos mais “duros” e os alongamentos mais difíceis.

Equilíbrio é um ponto chave, e sem duvida ele é a combinação de músculos fortes e treinados com uma mente treinada. Nosso corpo tem diversos tipos de neurônios, dos quais alguns tem a função de interpretar o nosso posicionamento no espaço, ou seja, fazer uma leitura do nosso corpo, grupos musculares ativos, desníveis no terreno, calçados que usamos, e tudo isso somado ao nosso sistema vestibular nos darão a sensação de equilíbrio no espaço e o quanto precisamos nos adaptar para ficarmos em pé.

Não são tarefas fáceis, a manutenção da saúde é algo contínuo, porém é bem melhor investir na saúde que na doença; Exercícios combinados de força e equilíbrio restauram nosso corpo, e são passos fundamentais para a autonomia. Idoso feliz é idoso autônomo, que faz seu café, arruma sua casa, realiza suas tarefas de higiene, passeia, dirige, conversa, enfim, vive a vida plenamente.

O psicológico abalado por vezes é um entrave ao tratamento, cabe a família a compreensão e o apoio nesta fase tão difícil. Nem sempre o paciente aceita o tratamento, e acredita que o repouso o fará melhorar, Repouso não é tratamento, atividade sim é tratamento. Afinal, nada melhor que autonomia, que plenitude.

A fisioterapia na terceira idade é essencial, tanto para aumentar amplitudes de movimento, reduzir o avanço da artrose e da osteoporose, manter o corpo forte, prevenir quedas por meio de exercícios de equilíbrio, e muitos outros. A fisioterapia pode ser feita em casa (fisioterapia em casa, fisioterapia domiciliar, fisioterapia home care) ou em parques ou clínicas (clinica de fisioterapia Vivace – Consultório de fisioterapia vivace). Cuidar da manutenção da saúde da nossa família não é uma obrigação, é um ato de carinho.